08 novembro, 2009

Quem não sabe receber...deixa de ganhar.




O Natal se aproxima e muitos já estão pensando nos presentes.
Não vou entrar aqui, no mérito da questão principal e dizer que Natal é aniversário de Jesus e é para o aniversariante que devíamos dar presentes.
Tudo bem. O costume de trocar presentes já é uma tradição e quase uma obrigação.
Dar e receber presentes é sempre prazeroso.
Será?
Eu não afirmaria isso com muita convicção. Se, por um lado, tem pessoas, para as quais é fácil escolher um presente, por outro, tem aquelas que nos fazem sentir incapazes de descobrir algo que possa agradá-las. Poderíamos situar a facilidade ou dificuldade na posição social de quem vai receber, e, lógico, no bolso de quem vai dar. Mas tenho observado que não é bem assim.
É só prestar atenção quando fizer sua lista. De um lado a coluna dos nomes. Essa é fácil. Na hora de escrever o que vamos dar e para quem, a dificuldade aparece. Repare. Por que para uns é mais fácil? O que faz a diferença? Não vai ser preciso pensar muito. A resposta logo aparecerá.
É mais fácil presentear quem sabe receber. Seja um simples marcador de livro ou uma peça de grife, a alegria e a satisfação, emanam espontaneamente de quem recebe.
Já, para alguns, parece que nada agrada. Esses vão nos fazer andar por horas no shopping. Repare novamente e verá que vai se sentir cumprindo uma obrigação.
Assim também acontece nos relacionamentos. Em todos os níveis. Amoroso, de amizade, profissional, familiar.
Li, não lembro bem onde, que o elogio é uma forma de controle. Na época parei prá pensar e até concordei. Realmente há muitas maneiras de se exercer controle e o elogio “pode” ser uma delas, mas não necessariamente ser usado sempre com essa intenção. Elogiar é uma coisa boa, prá quem faz e prá quem recebe e, desde que feito com honestidade, é um presente e tanto...
Todo mundo gosta de receber um elogio. Infelizmente nem todos sabem.
Quer um exemplo? Encontrei uma amiga e disse-lhe o quanto seu corte de cabelo estava bonito (de fato, estava mesmo). Como resposta ouvi uma ladainha sobre o quanto lhe custou em tempo e dinheiro no salão de beleza. Vou pensar duas vezes antes de elogiá-la novamente, afinal, o que eu esperava era apenas um “obrigada” ou um sorriso de satisfação. Essa é uma situação banal, mas há infinitas possibilidades de se perder dádivas importantes. Quando precisamos desabafar, contar tristezas ou alegrias, e buscamos alguém que nos ouça, estamos dando a essa pessoa o privilégio de compartilhar momentos significativos para nós. Só que, as vezes, parece que falamos com um ser inanimado. Esses, que não sabem ouvir, não mais serão merecedores de fazer parte da nossa história.
E tem aquela situação em que buscamos um ombro para chorar os erros cometidos. E o que recebemos é uma enxurrada de críticas. Pessoas assim ficarão sempre com os ombros leves mas estarão sozinhos. Desses a gente foge.
Pense em quantas coisas boas você deixou de ganhar: flores, presentes, convites, atenção, paciência, amor, amizade, afeto...veja se nã colaborou para perdê-las.
Ainda é tempo de resgatá-las.
Seja continente. Abrace com carinho tudo de bom que receber.
Seja também conteúdo porque , se saber receber é bom, melhor deve ser, dar.
Quer se manifestar sobre esse tema? Tem algo a dizer?
Fale...Não cale!
Sonia Rocha

2 comentários:

  1. Com certeza é dificil presentear as pessoas.
    As vezes até pensamos em desistir.
    Tem pessoas que se agradam com coisas simples, outras nada presta!
    Eu, particularmente adoro DAR presente e ver nos olhos das pessoas aquele brilho ao segurá-lo....mesmo que depois não goste do que eu dei, rss.
    bjox

    ResponderExcluir
  2. brigado pela força Sonia!
    um otimo fim de ano pra vcs ae na ilha!
    bjoss

    ResponderExcluir